Fórumcast #19
25 de abril de 2019, 11h21

Patrícia Lélis denuncia ameaças nas redes por amigo de Eduardo Bolsonaro

Jornalista revela que levou o caso às polícias dos Estados Unidos, onde mora com o marido, e do Brasil

Patrícia Lelis e o médico, Gustavo Ramiro com Eduardo Bolsonaro (Reprodução)

A jornalista Patrícia Lélis – que foi candidata à deputada federal pelo PROS/SP nas últimas eleições – denunciou à Fórum que está sofrendo supostos ataques e ameaças de um médico chamado Gustavo Ramiro, que seria amigo de Eduardo Bolsonaro, seu ex-namorado.

Segundo Patrícia, por conta de sua ligação com o filho do presidente, há dois anos ela vem sendo perseguida e, inclusive, ameaçada de morte, pela internet.

Ela conta que hoje mora no exterior. “Para quem não sabe, eu escolhi sair do Brasil após as eleições por uma questão de segurança, pois fui ameaçada de morte pelo Eduardo Bolsonaro e, mesmo tendo aberto processo, que hoje corre no STF, entendi que o Brasil não era mais um local seguro para mim e minha família”, alega.

A jornalista denuncia, ainda, que além dela, seu marido e outros integrantes da família têm sofrido ameaças do médico e de outras pessoas, supostamente ligadas à família Bolsonaro.

“Meu primeiro contato com o Gustavo foi pela internet, e nunca nos vimos pessoalmente. Em setembro de 2017, ele me enviou uma mensagem pelo Instagram, em um tom extremamente ameaçador. Resolvi expor a situação, até mesmo por uma questão se segurança”, conta ela. “Eu vou te matar. Já descobri onde você estuda. Antes de te matar vou te estuprar toda”, são algumas das ameaças. Confira a ameaça, publicada por Patrícia no Facebook.

Veja também:  Instituto que deu prêmio a Dallagnol é bancado por entidade onde Eduardo Bolsonaro forjou pós-graduação

Justiça
Patrícia revela que informou ao homem que levaria o caso à Justiça. “Foi quando começaram a perseguição e a exposição de seu total descontrole mental. Ramiro criou um canal no YouTube para falar mentiras sobre mim e minha família. Passou a enviar mensagens para amigos, familiares e seguidores das redes sociais”, relata.

A jornalista também denuncia perseguição por parte de uma mulher de nome Janaina Toledo, que teria relação com o médico. Ela se aproximou de Patrícia para se passar por sua amiga. Depois de alguns encontros, a mulher teria deixado de procurá-la.

“Contudo, os fatos começaram a ficar assustadores quando Janaina ficou sabendo que, ao viajar para Nova Iorque e Washington durante o verão, antes da campanha eleitoral, eu conheci o meu atual marido, Mark”, conta Patrícia.

“Desde então, ele também passou a receber mensagens ameaçadoras de ambos: Gustavo Ramiro e Janaina Toledo. De mensagens fakes no Instagram passaram a ser ligações, após Janaina descobrir o telefone do trabalho do Mark”, relata.

Neste momento da história, ainda segundo Patrícia, surgiu Cleuci Oliveira, filha do ex-senador Luiz Estevão.

Veja também:  Em vídeo emocionante, militância kirchnerista comemora vitória por goleada sobre Macri

Informações
“Cleuci, Gustavo Ramiro e Janaina Toledo, então, começaram uma busca incansável por informações minhas e do meu marido, como endereço, onde trabalhamos, estudamos, locais que frequentamos e como pagamos nossas contas”, diz a jornalista.

Patrícia acredita que as ameaças podem estar vinculadas a seus posicionamentos políticos. “Entendo que tenham motivos para não gostar de mim, mas nada justifica perseguições e ameaças de morte. Tomamos todas as providencias judiciais, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos. Porém, decidi que nunca mais ninguém iria me silenciar”, acrescenta.

FBI
“Primeiro, nós reportamos o caso à polícia de Washington, por que a Janaina está nos Estados Unidos. Depois, a própria polícia de Washington nos mandou para o FBI. Temos tudo protocolado. O caso, portanto, está sendo investigado aqui, por conta das ameaças que saíram aqui de dentro. Levamos, também, para a polícia do Brasil, porque o Gustavo Ramiro no país. Então, eu tenho um advogado aqui e outro no Brasil cuidando da situação”, completa Patrícia.

*A Fórum reitera que o espaço está em aberto para manifestação dos citados


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum