Paulo Câmara confirma exoneração de comandante da PM de Pernambuco

O governador disse que, para tomar posição, analisou "incessantemente" imagens, relatos e vídeos da repressão contra os atos de sábado; assista

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), decidiu exonerar o comandante da Polícia Militar do estado, coronel Vanildo Maranhão, nesta terça-feira (1º), três dias após a repressão violenta aos protestos de sábado (1º). Apesar da decisão, a pergunta sobre quem deu a ordem para a ação segue sem resposta.

Notícias relacionadas

“Quero dizer aqui que após analisar incessantemente imagens, relatos e vídeos de todo o ocorrido na manifestação do último sábado, conversei com o secretário de Defesa Social e o comandante da PM sobre minha posição de que aquela ação não condiz com as tradições e valores da PMPE”, afirmou o governador em pronunciamento feito nesta terça.

“A investigação em torno do caso continua. Hoje afastamos mais dois oficiais, além dos cinco afastados ainda no sábado. Vamos acompanhar a apuração de perto até a sua conclusão”, garantiu.

Câmara afirmou que conta com o novo comandante da PM, coronel José Roberto Santana, para “uma polícia dura contra o crime, mas que seja guardiã dos direitos humanos e da cidadania”. “Não uma polícia que atire no rosto das pessoas ou que impeça alguém ferido de ser socorrido, mas uma polícia que represente os anseios de uma sociedade pacífica, plural e democrática. Esses princípios são inegociáveis e deles jamais vamos abrir mão!”, afirmou.

Com informações do Jornal do Commercio e do G1

ASSISTA:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR