Caiu na conta: Paulo Coelho divulga transferência para financiar festival censurado pelo governo

Festival do Capão havia sido vetado pelo secretário de Cultura do governo Bolsonaro, o ator de telenovela juvenil Mário Frias

O escritor Paulo Coelho divulgou em suas redes sociais nesta quinta-feira (22) um recibo que mostra o financiamento do Festival de Jazz do Capão, na Chapada Diamantina pela Fundação Filantrópica Paulo Coelho e Christina Oiticica. Coelho e Oiticica anunciaram no dia 14 que bancariam o festival, que foi censurado pelo governo Jair Bolsonaro.

“Festival do Capão, antifascista e democrático. Transferência feita, avisem quando chegar”, tuitou o escritor. No recibo que aparece na imagem registra-se um repasse de 29 mil dólares da fundação ao festival.

O festival havia solicitado o ingresso em edital da Secretaria de Cultura para conseguir financiamento de R$ 145 mil através da Lei Rouanet. O secretário da pasta, o ator de telenovela juvenil Mário Frias, negou o pedido utilizando argumentos políticos e religiosos.

Frias chegou a utilizar uma postagem no facebook do ano passado em que o festival se define como “antifascista e pela democracia”. O saxofonista Rowney Scott, idealizador e diretor artístico do festival reagiu. “É um parecer absurdo, em nenhum momento o parecerista analisou o projeto de maneira técnica, artística”, disse ao jornal Correio.

O festival chegou a captar R$ 5 mil em vaquinha virtual.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR