Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de setembro de 2019, 22h13

Paulo Guedes chama ofensa a Brigitte Macron de “brincadeira” e pede desculpas

Ministro da Economia defendeu Bolsonaro com relação à ofensa machista e ainda reforçou o ataque contra a primeira-dama francesa: "É feia mesmo"

Paulo Guedes, ministro da Economia ( Jefferson Rudy/Agência Senado)

Após a repercussão negativa por conta da declaração proferida nesta quinta-feira (5), o ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu pedir desculpas. Em palestra realizada em Fortaleza (CE) mais cedo, Guedes fez pouco caso das declarações polêmicas e preconceituosas de Jair Bolsonaro e resolveu debochar, assim como fez o presidente brasileiro, da primeira-dama da França, Brigitte Macron.

“É tudo verdade. O presidente Jair Bolsonaro falou mesmo, e é verdade mesmo, a mulher é feia mesmo”, declarou Guedes, reforçando o comentário machista de Bolsonaro.

Via assessoria de imprensa, Guedes tentou se redimir e chamou a ofensa contra a primeira-dama francesa de “brincadeira”.

“Paulo Guedes pede desculpas pela brincadeira feita hoje em evento público em Fortaleza, quando mencionou a primeira-dama francesa Brigitte Macron. A intenção do ministro foi ilustrar que questões relevantes e urgentes para o país não têm o espaço q deveriam no debate público. Não houve qualquer intenção de proferir ofensas pessoais”, diz a nota.

A fala de Guedes repercutiu mal e foi um dos assuntos mais comentados das redes sociais nesta quinta-feira (5). Uma das figuras públicas que comentou o caso foi o jornalista Guga Chacra, da GloboNews.  “Inacreditável. Normalizaram a falta de educação e o desrespeito. O ministro da Economia ataca a primeira-dama da França. Sério, o que houve c/ o Brasil? Que vergonha. Que desastre”, escreveu Chacra pelo Twitter.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum