O que o brasileiro pensa?
16 de janeiro de 2020, 09h31

Paulo Pimenta: “Moro é um risco permanente para Bolsonaro”

Para o deputado, o ex-juiz é uma figura autoritária e com "capacidade enorme de vingança"

Deputado Paulo Pimenta (Reprodução)

Em entrevista à Revista Fórum nesta quinta-feira (16), o deputado federal Paulo Pimenta (PT), assim como Wadih Damous, advogado que atua na defesa do ex-presidente Lula, comentaram sobre o papel do ministro da Justiça, Sergio Moro, no governo de Jair Bolsonaro. Para Pimenta, o ex-juiz é uma figura que tem uma formação autoritária e que nunca foi confrontado. Dessa forma, o ministro tem uma “capacidade enorme de vingança”, o que pode colocar em risco o governo de Jair Bolsonaro.

Veja também: Wadih Damous: Choro de Moro é reação a seu “projeto de poder” indo por ralo abaixo

“Moro é um cara perigoso, é um cara vingativo, ele é um problema para a família Bolsonaro. Ele chega para ser um ‘colchão de proteção’ para a família, mas com a questão do Intercept, ele passa a ser sustentado pela força do governo Bolsonaro, mas oscilando”, comentou o deputado.

“Essa relação que ele estabelece com Bolsonaro é uma relação criminosa, uma relação que se retroalimenta. O Moro com o lavajatismo e Bolsonaro com o clã dos milicianos. Eles se autoprotegem nessa relação, mas é uma relação instável”, acrescentou.

“Moro é uma figura perigosíssima para a democracia, e ele é um risco permanente para Bolsonaro, e ele não sabe exatamente como tratar, o que fazer com o Moro. A todo momento, o Moro pode significar um risco a tudo aquilo que eles construíram para o projeto pessoal da própria família”, finaliza.

Assista a entrevista completa: 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum