Fórumcast, o podcast da Fórum
08 de maio de 2019, 14h33

Paulo Teixeira a Moro: “O senhor protagonizou vários vazamentos e aceitou ser ministro de quem mandou prender”

Em audiência sobre pacote anticrime e decreto sobre armas, Moro disse que Coaf não vazaria informações. Paulo Teixeira, então, relembrou que quando juiz Moro divulgou áudio envolvendo a ex-presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula

Sergio Moro e Paulo Teixeira (Agência Câmara)

Durante audiência pública na comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) contrapôs fala do ministro da Justiça, Sérgio Moro, em relação à vazamentos de informações seletivas. Ao comentar que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) não vaza informações, o deputado petista arrematou: “O senhor protagonizou vários vazamentos e aceitou ser ministro de quem mandou prender!”

O ministro foi relembrado tanto por Teixeira quanto pelo deputado Rogério Correia (PT-MG) acerca do vazamento envolvendo uma intercepção telefônica envolvendo os ex-presidentes Lula e Dilma.

“Logo após vazar informações, o senhor aceitou ser ministro do opositor de quem mandou prender”, rebateu Teixeira. “Inclusive à época vossa excelência levou um puxão de orelha do ministro Teori Zavascki pelo comportamento inadequado”, completou.

O ministro da Justiça ignorou a provocação e voltou a defender que o Coaf, objeto da audiência pública, fique sobre alçada do Ministério da Justiça.

Uma comissão mista, formada por senadores e deputados, analisa uma medida provisória sobre a estrutura administrativa do governo Jair Bolsonaro, que realocou o Coaf no MJ.

No governo, o discurso é que a permanência no Coaf sob o guarda-chuva de Moro é essencial para a troca de informações sobre movimentações financeiras com outros órgãos de investigação. A concentração de poderes com o ministro, no entanto, é uma preocupação manifestada de forma reservada por parlamentares.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum