Pedro Doria questiona independência do PGR indicado por Bolsonaro

O jornalista lembra que a Procuradoria arquivou o processo em que o presidente é citado no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco

Publicidade

O escritor e colunista d’O Globo e do Estadão, Pedro Doria levantou suspeita sobre a conduta do procurador-geral da República, Augusto Aras, empossado por Jair Bolsonaro. O jornalista lembra que a PGR arquivou o processo em que o presidente é citado no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco.

“O PGR escolhido pelo PR arquivou um processo que envolvia o PR ou familiar. Arquivou com base numa perícia que não tem a assinatura de um perito criminal profissional. E as provas que têm de ser periciadas estão sob a custódia do PR. Se isto não é inacreditável, o que é?”, questionou Doria.

Mais cedo, o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Rio de Janeiro (SINDPERJ) informou que a perícia técnica oficial não foi acionada para analisar a gravação apreendida no condomínio Vivendas da Barra, onde o presidente possui casa e foi citado por um porteiro sobre a morte de Marielle. “Lamentamos que um evento de grande importância criminal para o país, que envolveu até o Presidente da República, venha a ser apresentado sem o devido processo de comprovação científica. Uma prova técnica robusta e incontestável só pode ser produzida com respeito à cadeia de custódia e com a devida Perícia Oficial da mídia original e do equipamento original no qual foi gravada”, criticou o sindicato.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR