Pelo Twitter, Gilmar Mendes manda indireta a Bolsonaro: “Invadir hospitais é crime, estimular também”

Ministro do STF não citou diretamente o presidente, mas disse que “é vergonhoso que agentes públicos se prestem a alimentar teorias da conspiração”, e pediu que Ministério Público e PGR “atuem imediatamente”

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), usou sua conta de Twitter para mandar uma indireta ao presidente Jair Bolsonaro. Em mensagem publicada na manhã deste domingo (14), o magistrado afirmou que “Invadir hospitais é crime, estimular também”.

A declaração alude claramente ao apelo que o presidente fez em sua live da noite de quinta-feira (11), quando estimulou seus apoiadores a invadir hospitais de campanha e registrar com fotos e vídeos supostas irregularidades.

“Seria bom você fazer (invasões) na ponta da linha. Tem hospital de campanha perto de você, hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente está fazendo isso e mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não. Isso nos ajuda”, declarou o presidente.

Segundo Mendes, esse tipo de declaração constitui delito, e “o Ministério Público (a PGR e os MPs Estaduais) devem atuar imediatamente”.

“É vergonhoso – para não dizer ridículo – que agentes públicos se prestem a alimentar teorias da conspiração, colocando em risco a saúde pública”, escreveu o ministro na rede social”, completou o ministro, em seu tuíte.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.