sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Pesquisa comprova que antipetismo é lenda

Entrou no senso comum do debate político o discurso que o país vive um grande momento contra o Partido dos Trabalhadores. O chamado antipetismo foi usado como justificativa para a vitória de Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2018. Porém, uma pesquisa feita pelo JOTA, mostra que o sentimento do eleitor não é tão contrário ao PT quanto se imagina.

A pesquisa realizada em 304 municípios, de 26 estados brasileiros, entre os dias 29 de outubro e 2 novembro, ouviu 1.042 pessoas e revelou que parte da população não crê que o PT seja o partido mais corrupto do Brasil. Quando questionados que dentre os partidos tradicionais o mais corrupto seria a legenda do ex-presidente Lula, a resposta de 49,4% foi não, 37,9% disseram que sim e 12,8 não souberam opinar.

Na entrevista que deu para a Fórum, em setembro deste ano, Lula se mostrou contra a tese do antipetismo, afirmando que é impossível em muitos lugares do mundo ter uma aprovação unânime da população.

“Essa é outra bobagem. O antipetismo, o antiflamenguismo. Existe o anti tudo. Não tem na história da humanidade, com exceção do partido chinês e cubano, alguém que seja unanimidade, 100%. Vamos pegar o meu exemplo. Quando deixei a presidência da República, em dezembro de 2010, eu tinha 87% de bom e ótimo, 10% de regular e 3% de ruim e péssimo, que era no comitê dos tucanos. Mas ninguém consegue chegar a 100%. Não existe esse antipetismo. Existe o antipetismo como existe o anti tudo. Existe o anticorinthianismo, o antipalmeirismo, o antisantista”,

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.