Fórumcast #19
02 de maio de 2019, 19h23

Plataforma permite pressionar parlamentares até por Whatsapp contra reforma da Previdência

Site "Na Pressão", lançado pela CUT, mostra os deputados que são favoráveis à reforma da Previdência do governo e disponibiliza contatos de e-mail, redes sociais e até mesmo Whatsapp dos parlamentares com opção de envio de mensagens contra o projeto; conheça

Reprodução

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) lançou nesta quarta-feira (1º), Dia do Trabalhador, uma plataforma virtual para pressionar deputados e senadores contra o projeto do governo de reforma da Previdência. Trata-se do site “Na Pressão”, que mostra qual o posicionamento de cada parlamentar com relação às aposentadorias e disponibiliza contatos que vão desde e-mail, passando por redes sociais até Whatsapp dos políticos.

A ideia é que a população envie mensagens aos congressistas para fazer pressão contra a aprovação da reforma.

“Vamos usar esta ferramenta para pressionar os parlamentares para que a gente derrote essa reforma que nada mais é do que o fim da aposentadoria no país”, diz o secretário de Comunicação da CUT, Roni Barbosa.

Para enviar mensagens aos deputados, basta acessar o site Na Pressão, clicar em “pressionar” e, em seguida, clicar no ícone do e-mail, rede social ou Whatasapp que aparecerá junto ao perfil do parlementar. Feito isto, basta enviar uma mensagem automática que estará disponível contra o projeto.

A plataforma faz parte da campanha “Querem roubar sua aposentadoria”. Além dos materiais e da pressão virtual, a central sindical deliberou, junto a movimentos sociais, uma greve geral no dia 14 de junho que terá como reivindicação central a retirada de votação no Congresso do projeto de reforma da Previdência.

Veja também:  Com Frota, PSDB de Doria já admite expulsar Aécio Neves do partido

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum