sábado, 26 set 2020
Publicidade

Porta-voz de Bolsonaro se recusa por três vezes a comentar áudios vazados

Em coletiva de imprensa concedida em Brasília na tarde desta terça-feira (19), o porta-voz da presidência da República, Rêgo Barros, se recusou, por três vezes, a responder perguntas de jornalistas sobre os áudios vazados mais cedo pela revista Veja que mostram uma conversa entre Jair Bolsonaro e o ex-ministro Gustavo Bebianno.

Nos áudios, Bolsonaro desautoriza uma reunião entre Bebianno e um diretor executivo da Globo e chama a emissora de “inimiga”. As conversas, ocorridas em 12 de fevereiro, desmentem a versão do presidente de que ele não conversou com Bebianno naquele dia. O ex-ministro é o pivô de uma denúncia de candidatos laranja do PSL, partido de Bolsonaro, que atingem diretamente o Planalto.

“O senhor presidente da República, sobre o assunto em pauta, considera que as informações foram devidamente esclarecidas no dia de ontem por meio de divulgação de nota e vídeo”, disse o porta-voz a responder o primeiro jornalista que tocou no assunto.

A nota e o vídeo divulgados ontem, no entanto, foram antes dos áudios, vazados somente hoje. Diante da falta de resposta, outros dois jornalistas insistiram e o porta-voz repetiu exatamente a mesma frase. “O senhor presidente da República, sobre o assunto em pauta, considera que as informações foram devidamente esclarecidas no dia de ontem por meio de divulgação de nota e vídeo”.

Na terceira vez, Rêgo Barros ainda desconversou. “Eu entendo que hoje é um momento de vitória do governo com a proposta da Previdência pronta para ser entregue ao Congresso. Temos que olhar para frente”.

Na mesma coletiva, o porta-voz anunciou ainda que a proposta de reforma da Previdência será entregue nesta quarta-feira (20) ao Congresso.

Assista a íntegra da coletiva.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.