Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de novembro de 2019, 20h13

Presidente do Ibama flexibiliza lei ambiental para regularizar papagaio de ministro do STJ

Fiscais do Ibama se opõem à medida e justificam que a decisão pode incentivar o tráfico de animais e dificultar apreensões no futuro

Foto: Divulgação/ Ibama

Por Gabriella Sales, do Portal Vegano

O presidente do Ibama, Eduardo Bim, publicou um despacho que flexibiliza a lei ambiental, para facilitar a regularização do papagaio do ministro do STJ, Og Fernandes. A ocasião abre espaço para descumprimento da lei em casos futuros.

A solicitação da posse do papagaio foi feita em 2008 pela esposa do ministro, Roberta Marques. Segundo ela, o animal, da espécie Amazonas aestiva, foi presente de um amigo, e ela gostaria de regularizá-lo e levar para Brasília. Segundo a legislação, animais silvestres só podem ser mantidos em cativeiro por instituições regularizadas pelo Ibama.

Não é sócio Fórum? Quer ganhar 3 livros? Então clica aqui.

Na última quarta-feira (20), o presidente do Ibama publicou um despacho que concede posse provisória de 180 dias e orientou a Diretoria de Proteção Ambiental (Dipro) do Ibama a não apreender psitacídeos (classe à qual pertencem os papagaios) que estejam mantidos em domicílio há ao menos oito anos, sem sinais de maus-tratos.

No documento, Bim afirma que boa parte dos animais apreendidos não é reintroduzida na natureza, além de dizer que, quando há muito tempo em cativeiro, a readaptação é difícil para o animal. Quanto ao caso específico, ele justifica que “a requerente informou que o papagaio havia sido objeto de doação de um amigo de seu pai, juntando dados e fotos do animal silvestre que comprovam que a ave porta anilha e “goza de boa saúde”, bem como, mediante laudo particular feito por médico veterinário.

A Dipro se opõe à decisão e recomenda apreensão do animal e comunicação de crime ao Ministério Público. O presidente do Ibama afirma que seria “anti-isonômico assegurar direitos apenas à parcela da população que logra acesso ao Judiciário, deixando à deriva todos os demais cidadãos que compartilham a mesma situação jurídica por não acessar a via judicial”.

Tráfico

Fiscais do Ibama se opõem à decisão e justificam que pode ser muito difícil comprovar a posse por oito anos, e, na prática, o despacho serve como anistia. Acredita-se que a medida pode incentivar o tráfico de animais e dificultar apreensões no futuro.

O ministro Og Fernandes afirmou, pela assessoria de imprensa do STJ, que “a decisão do presidente do Ibama seguiu a correta interpretação da lei sobre animais silvestres ‘domesticados’ e registrados. A ave em questão é anilhada e está legalizada desde 2008”. Segundo ele, o que a situação de fato evidencia é uma crise interna do órgão. O ministro já esteve envolvido em outros casos de permissão de posse doméstica de papagaios, anteriormente.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum