Presidente do PCdoB abre representação contra Bolsonaro por ataque à esquerda no Maranhão

Além de fala homofóbica, presidente disse que país poderá comemorar em breve a "erradicação do comunismo"

O presidente do PCdoB Maranhão e deputado federal, Márcio Jerry, apresentou nesta quinta-feira (29) uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro por prática de improbidade administrativa. Ação ocorre após visita do ex-capitão ao estado, onde foram feitos diversos ataques aos adversários de esquerda, além de comentário homofóbico.

No documento, o deputado relatou que o presidente utilizou da estrutura do evento para promover proselitismo político contra adversários, usando expressões como “se Deus quiser, brevemente estaremos para comemorar a erradicação do comunismo em nosso Brasil”, “querem roubar seu dinheiro e sua liberdade” e “a nossa bandeira jamais será turvada de vermelho”.

Além disso, Marcio Jerry também afirma que Bolsonaro acusou o Maranhão de estar sob um “regime ditatorial” e declarou: “Vamos em um curto espaço de tempo, mandar embora o comunismo do Brasil”. Para o deputado, Bolsonaro utilizou recursos da União na viagem “com manifesto desvio de finalidade para atender a seus interesses particulares de cunho político-eleitoral”.

O governador do estado, Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta quinta que vai processar Bolsonaro após fala homofóbica contra maranhenses, dita no mesmo evento. “Bolsonaro veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro. Fez piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas empresariais: o guaraná Jesus. E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda politica. Será processado”, escreveu Dino.

O governador se referiu à “brincadeira” preconceituosa feita por Bolsonaro ao tomar um copo do tradicional guaraná regional, o Jesus, que é cor-de-rosa.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.