O que o brasileiro pensa?
21 de abril de 2019, 18h55

Previdência: Deputado petista apresentará requerimentos contra censura de Bolsonaro

"Na condição de autor da Lei de Acesso à Informação, não admito seu mau uso", afirmou o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) sobre a censura imposta por Guedes e Bolsonaro à informações sobre a reforma da Previdência; senador da Rede vai entrar na Justiça contra a medida

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG). Foto: PT na Câmara

Autor do projeto que criou a Lei de Acesso à Informação no ano de 2011, o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) informou neste domingo (21), pelo Twitter, que apresentará requerimentos solicitando informações e estudos a respeito do projeto da reforma da Previdência encampado pelo governo de Jair Bolsonaro e que está em tramitação no Congresso.

“Apresentarei requerimentos, baseados na Lei de Acesso á Informação (LAI), solicitando todos os estudos e dados sobre os impactos que a proposta de Reforma da Previdência teria na vida do nosso povo… em todos os poderes”, tuitou.

“Na condição de autor da Lei de Acesso à Informação, não admito seu mau uso! A LAI preza pela transparência. Usá-la para esconder a verdade dos fatos é um crime. Paulo Guedes quer tirar R$ 900 bilhões dos mais pobres e não quer que o povo saiba disso!”, completou o parlamentar.

O anúncio de Lopes vem após a notícia de que Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, impuseram censura à informações relativas à Previdência. Eles determinaram a proibição do acesso a estudos e pareceres técnicos que embasaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Sob sigilo, não poderão ser divulgados documentos importantes para os trabalhadores. Dessa forma, argumentos, estatísticas, dados econômicos e sociais ficam submetidos à censura, de acordo com informações de Fábio Fabrini e Bernardo Caram, da Folha de S.Paulo.

“Bolsonaro e Paulo Guedes querem verdadeiramente impor a censura ao decretar sigilo nos estudos sobre a proposta de Reforma da Previdência. Pelo importante direito de acesso à informação, censura nunca mais!!”, continuou, ainda pelo Twitter, o deputado petista.

Justiça 

Inúmeros políticos reagiram à atitude do governo de colocar as informações sobre a reforma da Previdência sob sigilo. O senador Fabiano Contarato (Rede-ES), por exemplo, foi além e informou à Folha de S. Paulo que entrará na Justiça contra a medida.

“Todos temos o direito de saber, de entender e de debater dados. Por isso, acionarei o Judiciário para garantir o nosso direito: transparência”, disse.

Correligionária 

Quem também não gostou da notícia, para alé da oposição, foi a correligionária de Jair Bolsonaro, Janaina Paschoal (PSL-SP). Uma das autoras do projeto de impeachment da ex-presidenta Dilma e tida como uma das principais “estrelas” do PSL, tendo sida cogitada até mesmo para ser vice de Bolsonaro na corrida presidencial, a deputada estadual afirmou que o governo “errou”.

“As pessoas precisam entender que, atualmente, os mais pobres sustentam o conforto e a segurança dos privilegiados. O sigilo, com todo respeito, não ajuda nada nesta missão. A transparência é sempre melhor, sobretudo por estarmos no caminho certo. Ademais, esse sigilo será usado para atrasar a necessária Reforma e o Brasil tem pressa!”, disparou em suas redes sociais.

Petistas protestam 

Além da manifestação de Reginaldo Lopes, que informou que entrará com requerimentos contra a censura, outros políticos do PT reagiram à notícia do sigilo sob os documentos da Previdência nas redes sociais.

O líder da bancada, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), afirmou que a medida do governo não será aceita e que serão usadas “todas as prerrogativas dos mandatos parlamentares” para que as informações escondidas sejam disponibilizadas à sociedade e à imprensa.

“Colocar em sigilo os dados que deveriam servir para o governo defender a sua ‘reforma’ da previdência é mais uma prova da incompetência e do desprezo que Jair Bolsonaro tem pelo Parlamento. Quero ver os líderes do governo defenderem essa medida na tribuna da Câmara e do Senado”.

“Ué, cadê a prometida transparência anunciada pela líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann? Bolsonaro e Guedes tentam esconder o impacto sobre os mais pobres e que a capitalização aprofunda o déficit fiscal”, questionou o deputado Alexandre Padilha (PT-SP).

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional de seu partido, também se manifestu. “Governo quer aprovação rápida da Reforma da Previdência e decreta sigilo dos dados q a fundamenta. Fica cada vez mais claro q esta reforma é uma roubada. Será ruim para o Brasil e para o povo brasileiro. Nada rápido e secreto, que tem grande impacto, pode ser bom”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum