Entrevista exclusiva com Lula
04 de fevereiro de 2019, 13h53

Primeira medida de pacote de Moro é sobre prisão em 2ª instância; projeto também autoriza polícia a matar

Na prática, item que abre o projeto remete a uma antiga obsessão de Moro e dificulta ainda mais a libertação do ex-presidente Lula, condenado pelo ministro enquanto estava à frente dos julgamentos da Lava Jato

Moro apresente o "Pacote anticrime" a governadores e secretários de Segurança Pública (Foto: Isaac Amorim/MJSP)

O primeiro item do chamado “Pacote Anticrime” apresentado nesta segunda-feira (4) pelo ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, propõe alterações no Código Penal para “assegurar a execução provisória da condenação criminal após julgamento em segunda instância”.

Na prática, item remete a uma antiga obsessão de Moro e dificulta ainda mais a libertação do ex-presidente Lula, condenado pelo ministro enquanto estava à frente dos julgamentos da Lava Jato.

Leia também: Com Pacote Anticrime e Previdência pela frente, Congresso abre trabalhos legislativos

Moro ainda incluiu no pacote uma das bandeiras de Jair Bolsonaro (PSL), a possibilidade de redução ou mesmo isenção de pena de policiais que causarem morte durante sua atividade.

De acordo com o texto, a proposta permite ao juiz reduzir a pena até a metade ou deixar de aplicá-la se o excesso for decorrente de escusável medo, surpresa ou violenta emoção. As circunstâncias serão avaliadas e, se for o caso, o acusado ficará isento de pena.

A nova redação que o texto propõe no Código Penal para o chamado “excludente de ilicitude” permite que o policial que age para prevenir agressão ou risco de agressão a reféns seja considerado como se atuando em legítima defesa.

Segundo a legislação atual, o policial deve esperar uma ameaça concreta ou o início do crime para então reagir.

O ministro ainda quer colocar as mílicias como organizações criminosas citadas nominalmente, como Primeiro Comando da Capital, Comando Vermelho, Família do Norte, Terceiro Comando Puro, Amigo dos Amigos.

Leia a proposta do “Pacote Anticrime” na íntegra.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum