Fórumcast #19
14 de março de 2019, 20h13

Primeiro projeto de Flávio Bolsonaro no Senado prevê instalação de fábrica de armas no país

Filho do presidente apresenta a proposta no mesmo dia em que ocorreu a tragédia na escola de Suzano, que provocou a morte de dez pessoas

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O primeiro projeto apresentado por Flávio Bolsonaro no Senado Federal prevê a autorização para a instalação de fábricas civis de armas de fogo e munições no Brasil. O anúncio do filho do presidente foi feito nesta quarta-feira (13), mesmo dia da tragédia da escola de Suzano, que teve como saldo a morte de dez pessoas.

Além disso, Jair Bolsonaro anunciou, também nesta quarta, que está preparando um projeto de lei para ser encaminhado ao Congresso Nacional, com o objetivo de flexibilizar o porte de armas, o que demonstra a total falta de sintonia da família com as demandas sociais.

A lei atual está em vigor desde 1934 e proíbe a instalação de fábricas civis de armas e munições. A proposta de Flávio, no entanto, diz que “fica autorizada a instalação, no país, de fábricas civis destinadas ao fabrico de armas de fogo e munições nos termos deste decreto”.

“Livre exercício”

“Nesse sentido, apresentamos este projeto com o objetivo de resgatar o livre exercício dos direitos e simplificar o arcabouço normativo concernente à matéria, facilitando a sua interpretação e aplicação por parte das autoridades constituídas, em especial o Exército Brasileiro, a Polícia Federal e as Secretarias de Segurança Pública, bem como corrigindo distorções existentes na lei atualmente em vigor”, diz o texto de Flávio.

Veja também:  São Paulo leva 100 mil para rua contra Future-se e cortes na Educação

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum