Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
14 de março de 2019, 20h13

Primeiro projeto de Flávio Bolsonaro no Senado prevê instalação de fábrica de armas no país

Filho do presidente apresenta a proposta no mesmo dia em que ocorreu a tragédia na escola de Suzano, que provocou a morte de dez pessoas

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O primeiro projeto apresentado por Flávio Bolsonaro no Senado Federal prevê a autorização para a instalação de fábricas civis de armas de fogo e munições no Brasil. O anúncio do filho do presidente foi feito nesta quarta-feira (13), mesmo dia da tragédia da escola de Suzano, que teve como saldo a morte de dez pessoas.

Além disso, Jair Bolsonaro anunciou, também nesta quarta, que está preparando um projeto de lei para ser encaminhado ao Congresso Nacional, com o objetivo de flexibilizar o porte de armas, o que demonstra a total falta de sintonia da família com as demandas sociais.

A lei atual está em vigor desde 1934 e proíbe a instalação de fábricas civis de armas e munições. A proposta de Flávio, no entanto, diz que “fica autorizada a instalação, no país, de fábricas civis destinadas ao fabrico de armas de fogo e munições nos termos deste decreto”.

“Livre exercício”

“Nesse sentido, apresentamos este projeto com o objetivo de resgatar o livre exercício dos direitos e simplificar o arcabouço normativo concernente à matéria, facilitando a sua interpretação e aplicação por parte das autoridades constituídas, em especial o Exército Brasileiro, a Polícia Federal e as Secretarias de Segurança Pública, bem como corrigindo distorções existentes na lei atualmente em vigor”, diz o texto de Flávio.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum