Fórumcast #20
26 de março de 2019, 21h48

Professor investigado por Ronnie Lessa é alvo de perseguição e pode ser exonerado

Secretaria de Educação abriu processo de exoneração por faltas, mesmo sabendo que Pedro Marra teve de deixar o Rio por um protocolo de segurança, pois teve seu nome pesquisado pelo acusado de matar Marielle

Foto: Reprodução

O professor de sociologia, doutorando na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e diretor do CIEP 210, escola da periferia de Belford Roxo, no Rio, Pedro Mara pode ser exonerado por abandono de emprego pela Secretaria de Educação.

A medida é inexplicável porque Pedro foi investigado Ronnie Lessa, réu acusado de matar Marielle Franco, e, por uma questão de segurança pessoal, foi obrigado a deixar o Rio de Janeiro.

A decisão foi tomada depois de que Pedro soube que seu nome consta no relatório de investigação da Polícia Civil do Rio de Janeiro, por ter tido sua vida pesquisada e monitorada pelo sargento reformado da PM, Ronnie Lessa.

A Secretaria de Educação abriu processo para exonerar o professor, justamente por conta de faltas nos últimos dias. No entanto, ele conta que saiu do Rio por um protocolo de segurança. Apesar de ter sido notificada formalmente pelo deputado Flavio Serafini (PSOL), presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa; pela deputada Renata Souza (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos; e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a secretaria resolveu abrir processo de exoneração por abandono de cargo por faltas.

Veja também:  Monica Benicio, viúva de Marielle, visita Lula: "Assim como Marielle, dedicou a vida a lutar pelos que mais precisam"

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum