“Profissão de risco”, diz artista gráfico que teve charge exposta por Bolsonaro em live

Após ação do Facebook contra aliados, presidente pediu derrubada de páginas de artistas e disse que charges “incitam ódio"

Com a derrubada de parte da rede de fake news bolsonarista no Facebook, o presidente Jair Bolsonaro dedicou parte de sua live nesta quinta-feira (9) para atacar artistas que produzem charges contra ele. Presidente reclamou que profissionais não sofrem censura por atacá-lo.

“No Brasil sobrou para quem está do meu lado e parece que a esquerda fica posando de moralista”, desabafou. Em seguida, Bolsonaro expôs nomes e charges de artistas, dizendo que os mesmos “incitam ódio”.

“Maneiras de assassinar Bolsonaro com competência, do Vitor Teixeira. Ninguém fala em derrubar essa página aqui”, afirmou. O artista em questão, no entanto, não usou a imagem do presidente na charge ou citou seu nome, conforme relatado em entrevista à Fórum.

Vitor conta ainda que, ao contrário do que o presidente prega na live, muitas de suas charges já foram censuradas, assim como de outros artistas que conhece. A prática, segundo ele, piorou após a eleição de Bolsonaro.

“Já tive muitas charges censuradas, mas a coisa ficou muito mais evidente e frequente desde que Bolsonaro ganhou a eleição. Tive meu Instagram derrubado, porque o Carlos Bolsonaro usou esses bandos digitais para derrubar a página, usou os perfis dele para denunciar. O Véio da Havan também já me processou, na esfera cível e criminal. Antes do Bolsonaro virar presidente nada disso acontecia”, conta.

“Nas redes sociais, é toda hora que cai desenho. Aquele desenho eu publiquei já faz uns meses. Nele, sem dar nome aos bois, eu explico na charge como você esfaqueia uma pessoa de forma eficiente. Mas não tem o rosto do Bolsonaro ou seu nome. O cenário para humor gráfico no Brasil é uma profissão de risco, acho que para a imprensa em uma maneira geral”, continuou.

Na live, Bolsonaro disse ainda nunca promoveu ódio. “Dizer que nós estamos produzindo material de ódio? O que é ódio? O que é material de ódio? Me apresente um texto no Instagram, Facebook, WhatsApp batendo no Legislativo, no Judiciário, o que for, não existe isso. É lamentável. Nós não podemos perder essa liberdade aí de imprensa, isso me elegeu presidente da República”, declarou.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR