Alvo de protestos, Bolsonaro entra pelos fundos em hotel em Nova York

O presidente vai discursar na Assembleia Geral da ONU na terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro teve que entrar no hotel InterContinental New York Barclay pela porta dos fundos neste domingo (19). O mandatário ficará hospedado no local para a Assembleia Geral da ONU, que acontece na terça-feira (21).

Manifestantes se concentravam na porta do hotel com faixas e cartazes contra o presidente. Segundo informações do jornalista Pedro Moreira, de O Globo, as faixas diziam “Stop Bolsonaro”, “You are not welcome here”, “Fora Bolsonaro, fora militares” e “Brasil, terra indígena”.

Quando foi abrir a Assembleia Geral da ONU de 2019, o presidente entrou pela frente no hotel e encontrou alguns apoiadores fazendo frente aos manifestantes que estavam no local. Dessa vez, só havia críticos, em sua maioria brasileiros. Com isso, ele decidiu ir pelos fundos, conforme aponta a jornalista Beatriz Bulla, do Estadão.

O desembarque do presidente em Nova York e a própria participação no evento da ONU estão cercados de polêmicas. Bolsonaro não se vacinou contra a Covid-19, o que limita sua circulação pela cidade.

A presença do presidente na sede da organização internacional também foi questionada, tendo em vista que a imunização era uma exigência. A situação, no entanto, parece ter sido contornada.

Veja vídeo da jornalista Mariana Sanches mostrando a chegada de Bolsonaro no hotel:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR