Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de maio de 2019, 22h21

PSDB quer expulsar condenados; Aécio, Perillo e Richa seriam atingidos

Novo código de conduta tucano será avaliado e debatido na conveção do partido; se não ficar só no papel, caciques conhecidos da legenda seriam punidos

Caciques do PSDB (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O PSDB fará a sua convenção partidária na próxima sexta-feria (31) em Brasília. O encontro definirá quem será o novo presidente da legenda. O pernambucano Bruno Araújo é o mais cotado para assumir o cargo. Mas não é a escolha do novo líder do partido que vem provocando polêmica nos dias que antecedem a reunião. Um dos pontos que será debatido é de um novo código interno que pune com expulsão a infidelidade partidária, integrantes condenados criminalmente e dirigentes que constrangerem correligionários em posição inferior.

Caso seja aprovada a nova medida pode afetar grandes caciques da legenda, tais como o ex-governadores Aécio Neves (MG), Marconi Perillo (GO), Beto Richa (PR). A punição valerá se for aprovada e levar em conta condenações que se deram antes da possível medida do partido entrar em vigor.

A proposta foi enviada nesta terça-feira (25) para o diretório nacional do PSDB e pode sofrer alterações em seu texto até ser apresentado na convenção. A expulsão seria a punição máxima, mas outros tipos de sanções estão previstas. Elas vão desde advertências verbais até ressarcimento ao partido por danos materiais.

Caso a ideia não fique só no papel, os principais nomes que correriam risco de punição são:

Aécio Neves

Atualmente com o mandato de deputado federal, o ex-senador e ex-governador mineiro é investigado em nove inquéritos e é reu em um ação criminal que corre no Supremo Tribunal Federal.

Beto Richa

O ex-governador foi preso em três ocasiões diferentes, a última em março deste ano acusado de obstrução de justiça durante a investigação de um esquema que desviou mais de R$ 20 milhões de obras de escolas públicas no Paraná.

Marconi Perillo

O ex-governaddor de Goiás é réu por corrupção passiva e foi condenado quatro anos e seis meses de reclusão, em regime semiaberto, acusado de desvio de finalidade na aplicação de financiamento obtido em instituição financeira oficial.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum