domingo, 20 set 2020
Publicidade

PT repudia ataques de Bolsonaro a Bachelet: “reafirma a sua incapacidade para representar o nosso país”

Por meio de nota o Partido dos Trabalhadores (PT) reagiu nesta quarta-feira (4) com indignação ao que classificou de “ataques abjetos” do presidente Jair Bolsonaro contra Michele Bachelet, ex-presidente do Chile e atualmente no posto de Alta Comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos. O texto é assinado pela deputada federal e presidente do partido, Gleisi Hoffmann, além dos líderes do partido na Câmara e no Senado, Paulo Pimenta e Humberto Costa.

As declarações de Jair Bolsonaro em que ele defendeu a tortura e a morte de Alberto Bachelet, pai da ex-presidenta do Chile, causaram reações de indignação.

Alberto Bachelet foi assassinado a mando do ditador Augusto Pinochet, por ser oposição ao regime militar chileno, tirou do poder o socialista Salvador Allende.

A nota afirma que Bolsonaro “só está no cargo de chefe de Estado devido à sistemática violação do Estado de Direito e da democracia em nosso país”.

Abaixo o inteiro teor:

BOLSONARO ENVERGONHA O POVO BRASILEIRO

O Partido dos Trabalhadores manifesta o seu completo repúdio aos ataques abjetos de Jair Bolsonaro à Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet

Ao ofender a ex-presidenta chilena, ainda mais usando o seu pai, vítima da ditadura de Augusto Pinochet, um tirano condenado por crimes contra a humanidade e por atos de corrupção, Bolsonaro envergonha o Brasil e reafirma a sua incapacidade para representar o nosso país perante o mundo.

O Brasil é amplamente reconhecido pela sua tradição de promover o diálogo e a paz entre os povos. Nesse sentido, a nossa Constituição Federal estabelece a prevalência dos direitos humanos como um dos princípios fundantes das nossas relações internacionais. As declarações de Bolsonaro adquirem gravidade ainda maior porque afrontam a nossa Carta Magna.

O mundo inteiro acompanha atento o desenrolar do processo político que o Brasil vive desde 2016, com o afastamento ilegal da presidenta Dilma Rousseff do mandato popular que lhe foi conferido por 54 milhões de votos. Não é novidade para ninguém, portanto, que Jair Bolsonaro só está no cargo de chefe de Estado devido à sistemática violação do Estado de Direito e da democracia em nosso país, o que é atestado pela prisão política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O PT seguirá denunciando as atitudes de Bolsonaro que não condizem com a democracia e com o respeito aos direitos humanos, bem como acionará as instituições adequadas para exigir a reparação por eventuais danos ao povo brasileiro e à comunidade internacional.

Brasília, 4 de setembro de 2019.

Gleisi Hoffmann

Presidenta nacional do PT

Paulo Pimenta

Líder do PT na Câmara

Humberto Costa

Líder do PT no Senado

 

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.