Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de julho de 2019, 13h06

Rede aciona STF contra medida de Toffoli que suspendeu investigações

A decisão de Toffoli suspendeu a investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que começou com base em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)

Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF

O partido Rede Sustentabilidade recorreu nesta segunda-feira (21) ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do presidente da corte, Dias Toffoli, que na semana passada determinou a paralisação de todos os processos judiciais nos quais dados bancários de investigados tenham sido compartilhados por órgãos de controle como sem prévia autorização do Judiciário.

A decisão de Toffoli suspendeu, entre outros, a investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que inicou com base em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

“Qualquer debate sobre a constitucionalidade do compartilhamento de dados bancários para fins penais deve levar em consideração o contexto em que estamos. Há que ser privilegiado o direito individual, que atualmente é usado em benefício de organizações criminosas ou há que ser privilegiado o direito coletivo, permitindo-se normas mais rígidas que facilitem a investigação criminal”, diz o partido no documento.

Com a decisão de Toffoli, o Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com pedido para poder seguir atuando no caso Queiroz, que envolve o senador Flávio Bolsonaro.

Na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) apresentada ao STF, partido pede que o caso seja redistribuído a outro ministro em agosto, quando o STF volta do recesso.

Do documento, a Rede afirma que a discussão sobre limites ao “poder” de informação disponibilizada pelos órgãos de controle “ganhou grande relevância a partir do destaque da Operação Lava-Jato, que conseguiu alcançar com sucesso indivíduos poderosos, sejam particulares ou autoridades do governo, de diversos partidos e espectros políticos”.

A decisão do presidente do STF, dada em caratér liminar, suspende as investigações até o julgamento de mérito, marcado para 21 de novembro.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum