Rede pede que Bolsonaro seja multado toda vez que falar em fraude eleitoral

"Vai trabalhar, Bolsonaro!", disse o senador Randolfe Rodrigues

A Rede Sustentabilidade entrou com ação no Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira (30) contra o presidente Jair Bolsonaro em razão das alegações falsas sobre a ocorrência de fraude eleitoral nas urnas em 2014 e 2018. Na quinta, o mandatário fez uma live em que admitiu não ter provas sobre isso.

Segundo informações do jornalista Severino Góes, da Conjur, a Rede pede que Bolsonaro seja multado em R$ 500 mil cada vez que levantar a tese falsa de fraude nas urnas. Os valores, que sairiam do bolso do presidente, seriam destinados ao combate à Covid-19.

“Ao não apresentar ‘provas’ — e ao dizer que não as tem —, o presidente já está automaticamente incurso na cláusula de inexistência de provas, pelo que seria a hipótese de incidência da multa por descumprimento da ordem judicial”, diz trecho da ação.

“Entretanto, como demonstra sua conduta, o senhor Presidente da República não respeita os demais Poderes da República, sendo necessária a imediata aplicação de pena de multa por evento de descumprimento a cada nova manifestação que faça acerca da inverídica existência de fraudes eleitorais, por via própria ou de seus Ministros ou familiares mais próximos”, completa.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), comentou sobre a ação em seu perfil no Twitter. “Acabamos de acionar o STF pedindo que Bolsonaro seja multado em R$ 500 mil cada vez que ele mentir sobre urnas eletrônicas. Defendemos que a quantia seja descontada do patrimônio pessoal do presidente, e não dos cofres públicos. Vai trabalhar, Bolsonaro!”, tuitou.

Bolsonaro sem provas

Na live realizada na quinta, Bolsonaro acabou admitindo não ter as prometidas provas de supostas fraudes no sistema eleitoral brasileiro. Durante transmissão, presidente exibiu vídeos desconexos, fez campanha antecipada para 2022 em TV pública e levantou insinuações contra o presidente do TSELuís Roberto Barroso. O TSE, inclusive, já havia desmentido boatos disseminados pelo presidente na transmissão.

Confira aqui a ação, obtida pela Conjur

Notícias relacionadas

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR