sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Redes reagem a declarações de Doria com tag #BolsoDoriaNazifascistas

As declarações do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sobre o massacre de Paraisópolis geraram uma onde de indignação nas redes sociais nesta terça-feira (3). Usuários levantaram uma hashtag comparando o tucano com o presidente Jair Bolsonaro em razão da falta de compromisso com relação ao caso.

Desde que foi divulgada a morte dos nove jovens por ação da Polícia Militar em um baile funk em Paraisópolis, o governador tem tentado se esquivar da culpa. Doria, que chegou a dizer que a partir de janeiro a polícia ia começar a “atirar para matar”, afirmou que o ocorrido foi um “triste episódio” que não irá se repetir.

O cartunista Carlos Latuff foi um dos que usou a #BolsoDoriaNazifascistas para criticar a política de segurança de João Doria. “Batendo palmas para o massacre de Paraisópolis”, disse Latuff ao compartilhar um tuíte com uma declaração de Doria dizendo que a atuação dos policiais em SP “não vai mudar”.

“As políticas de segurança pública propostas pela dupla BolsoDoria são liberdade para matar, é atacar estereótipos definidos não é combater o crime, a limpeza social que buscam já foi vista antes. É a humanidade já disse que esse caminho não é o correto”, disse o usuário Danilo Leite.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) chegou a fazer uma enquete questionando qual o político mais fascista do Brasil, colocando Doria, Bolsonaro e Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, como opções. Até o momento, Bolsonaro vence com ampla vantagem.

Confira as reações:

https://twitter.com/GeralPolitica/status/1201995229781471232

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.