O que o brasileiro pensa?
18 de fevereiro de 2020, 23h00

Reforma da Previdência de Doria é aprovada em primeiro turno na Alesp

Sob protestos de servidores e deputados da oposição, projeto que deve prejudicar funcionários públicos paulistas teve exatamente o número de votos favoráveis que precisava: 57

Foto: Reprodução

Objeto de discussões acaloradas nas últimas semanas, o projeto de reforma da Previdência dos servidores paulistas foi aprovado em primeiro turno nesta terça-feira (18) na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Os parlamentares agora votam os destaques da PEC.

Encampado pelo governador João Doria (PSDB), o projeto teve exatamente o número de votos necessários para ser aprovado: 57 votos. 31 deputados votaram contra. A matéria, agora, terá que ser submetida a uma votação em segundo turno.

Entre as principais mudanças que devem ser efetivadas pelo projeto, estão o aumento do recolhimento de impostos dos servidores estaduais, que passarão a ter um desconto de 14% na folha de pagamento. Atualmente o desconto é de 12%. Além disso, a reforma da Previdência paulista aumentará o tempo de contribuição das mulheres, que passarão a ter idade mínima para se aposentar de 62 anos, e dos homens, que passa, caso o projeto seja aprovado em segundo turno, a ser de 65 anos.

Nos últimos meses, a matéria tem sido alvo de inúmeras críticas por parte dos servidores e deputados da oposição. No final do ano passado, um mês após o governador João Doria apresentar o projeto à Alesp, trabalhadores públicos do estado fizeram um protesto nas galerias do plenário da Assembleia e foram chamados pelo deputado estadual Arthur do Val (sem partido), o Mamãe Falei, de “vagabundos”, provocando um verdadeiro quebra-pau.

A deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL-SP), pouco antes da votação que terminou com vitória em primeiro turno do projeto, criticou a proposta pelo Twitter. “Governador de SP quer aprovar a reforma da previdência hoje. Vamos nos mobilizar contra esse absurdo, que tira direitos de professores de escolas estaduais, trabalhadores da saúde, policiais… Mexer na previdência é atacar toda a estrutura social”.

A deputada estadual Professora Bebel (PT-SP) também protestou. ” ALESP APROVA ATAQUE AOS DIREITOS DO FUNCIONALISMO PÚBLICO Governistas acabam de escrever mais uma página lamentável no parlamento paulista, aprovando em primeiro turno a PEC 18. É necessária grande mobilização nesta quarta-feira, 16h, na ALESP p/ votação da PEC em segundo turno”, escreveu em suas redes sociais.

Confira, abaixo, a lista de como votou cada parlamentar.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum