segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Reitor preso em operação que afastou Witzel diz que doou para campanha de Flávio Bolsonaro

De acordo com José Carlos de Melo Melo, o dinheiro foi utilizado para pagar dívidas da campanha do filho do presidente para o Senado

O ex-pró-reitor da Universidade Iguaçu (Unig), José Carlos de Melo, preso na operação que levou ao afastamento do governador Wilson Witzel (PSC), disse a interlocutores que doou para a campanha de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) ao Senado em 2018. A informação é da coluna de Guilherme Amado, na revista Época.

De acordo com ele, o dinheiro foi utilizado para pagar dívidas da campanha do filho do presidente ao Senado a pedido de Leonardo Rodrigues, segundo suplente de Flávio Bolsonaro e hoje secretário de Ciência e Tecnologia do governo do Rio. Na prestação de contas do senador, no entanto, não consta registro da transferência de Melo.

A Unig afirmou que em nota que Melo foi pró-reitor da universidade até junho, quando foi exonerado “em razão de inadimplementos”. A instituição também declarou que “desde o desligamento de José Carlos, não há mais qualquer relação entre ele e a universidade”.

Segundo denúncia do Ministério Público, que teve como base a delação premiada do ex-secretário de Saúde do Estado, José Carlos agenciava empresas que prestariam serviço para a pasta, recebendo pagamentos por causa da intermediação. Segundo o ex-secretário, José Carlos dizia que tinha muita facilidade em ter “dinheiro vivo”. A informação é do jornal O Globo.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.