quarta-feira, 28 out 2020
Publicidade

Réu, Bolsonaro deve depor presencialmente sobre interferência na PF, determina Celso de Mello

Ministro afirma que o depoimento por escrito só é permitido aos Chefes dos Três Poderes da República que figurem como testemunhas ou vítimas

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (11) que Jair Bolsonaro preste depoimento presencial na investigação que apura denúncias do ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, sobre interferência do presidente na Polícia Federal.

O depoimento deve ocorrer nos próximos 30 dias – período em que foi prorrogado o inquérito, aberto em maio. Segundo Celso de Mello, por ser réu no caso, Bolsonaro não tem o privilégio de ser interrogado por escrito.

Em sua decisão, o ministro afirma que o depoimento por escrito só é permitido aos Chefes dos Três Poderes da República que figurem como testemunhas ou vítimas.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.