Fórumcast #20
24 de maio de 2018, 12h58

Rio sedia Seminário Internacional de Juristas em defesa da democracia

Entre os dias 24 e 26 de maio, juízes, desembargadores, advogados, professores e estudantes se reúnem na PUC-Rio em defesa da democracia

Começa nesta quinta-feira (24), na PUC-Rio, o Seminário Internacional em Defesa das Garantias e dos Direitos Fundamentais. O evento traz para o Brasil, juristas renomados da América Latina e da Europa. Entre eles estão confirmados o advogado argentino e reitor da Universidad para lá Educacion Trabajo, Nicolas Trotta e a juíza e desembargadora do Tribunal de Justiça de São Paulo, Kenarik Boujikian.

Participam também o ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o ex-deputado federal Constituinte pelo Estado de Goiás, secretário da Comissão Especial de Mobilização para a Reforma Política do Conselho Federal da OAB, Aldo Arantes, entre outras autoridades.

O evento vai reunir juristas de todo o Brasil e também do exterior para debater temas como “o sistema de justiça e o compromisso com a democracia na América Latina” e “cenários de resistência democrática na Europa e na América Latina”. Além de personalidades do meio jurídico, as mesas receberão nomes como o do economista português Francisco Anacleto Louça e a antropóloga e pesquisadora em Segurança Pública da Universidade Federal Fluminense (UFF), Jacqueline Muniz.

Carol Proner, professora de Direito Internacional da UFRJ e uma das organizadoras do evento afirma que “a realização de um Seminário como esse, no momento em que o Brasil vive um golpe de estado, é simbólico, é um ato de resistência”. Para ela, “as cenas que assistimos desde o impeachment da ex-presidenta Dilma ferem o estado de direito democrático brasileiro e é mais que necessário a organização dos juristas brasileiros que defendem a democracia”.

Veja também:  Se a Kirchner quiser fechar o Mercosul, o Brasil sai do bloco, ameaça Paulo Guedes

O Seminário é organizado pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), entidade recém constituída que atua por um sistema de justiça coerente e em defesa dos direitos constitucionais. A ABJD teve um importante papel na denúncia das arbitrariedades jurídicas que culminaram na injusta prisão do ex-presidente Lula e também e pressionaram pela abertura de investigação contra a desembargadora acusada de cometer crimes de ódio contra a vereadora Marielle Franco. Durante o Seminário Internacional, no dia 26 às 9h, acontecerá o Ato de Lançamento oficial da Associação, no mesmo local.

Programação Completa

24 DE MAIO

8h – Credenciamento

9h Abertura

9h15 – O Sistema de Justiça e o Compromisso com a Democracia na América Latina

Com Maria José Fariñas Dulce,

Nicolas Trotta, Juan Martín Mena,

Mediação: Carol Proner

14h às 18h – Movimentos Antidemocráticos e Defesa das Garantias Jurídicas e Políticas

Com Mariao Elena Rodríguez, Romina Zarate, Carlos Amauri Chamorro, Manuel Gándara Carballido.

25 DE MAIO

9h às 12h – Desconstrução do Estado Democrático de Direito, das Reformas Inconstitucionais à Intervenção Federal-Militar em plena Democracia;

Veja também:  Quem tem medo de Marielle Franco?

Com Jacqueline Muniz, Gisele Cittadino, Martonio Mont`Alverne Barreto Lima

14h às 15:30h – Cenários de Resistência Democrática na Europa e na América Latina

Flávio Dino, Matín Granovsky, Francisco Anacleto Louça

16h às 18h – O Papel da ABJD na Resistência às Rupturas e Retrocessos Democráticos

Afranio Silva Jardim, Beatriz Vargas, André Luís Machado: Defensor Público, Jessy Dayane Silva Santos, Kenarik Boujikian, Cezar Britto

26 DE MAIO – 9h – PLENÁRIA ABJD

Serviço:

Seminário Internacional em defesa das Garantias Jurídicas e dos Direitos Fundamentais

Data: 24 a 26 de maio

Local: PUC-Rio – Rua Marques de São Vicente, 225 | Auditório 8° andar – Ala Frings

https://www.facebook.com/ABJuristasPelaDemocracia/


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum