Roberto Dias: estou sendo acusado por “picareta” Dominguetti; Luís Miranda mentiu

"O deputado disse que ele não comercializava produtos para a saúde. Negou, sob compromisso dessa CPI, ter negócios nesse ramo. Mentiu", disse Dias em depoimento à CPI. Siga ao vivo

Em sua primeira intervenção na CPI do Genocídio na manhã desta quarta-feira (7), o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias Ferreira atacou o PM Luis Paulo Dominguetti, que teria negociado com ele a venda superfaturada de vacinas, e o deputado Luís Miranda (DEM-DF), a quem acusou de “mentir” sobre o esquema de corrupção na pasta.

Roberto Dias Ferreira: Quem é o ex-chefe de Logística do Ministério da Saúde citado pelo PM Dominghetti Pereira?

“Estou sendo acusado sem provas por dois cidadãos. O senhor Dominguetti, que aqui nessa CPI foi constatado ser um ‘picareta’, que tentava aplicar golpes em prefeituras e no Ministério da Saúde e durante sua audiência deu mais uma prova de sua desonestidade, mostrando não ser merecedor de nenhum crédito desta casa. O nobre deputado federal Luis Miranda conforme notícias relatam possui um passado controverso, que abstenho de citar e é de domínio público”, disse Dias, que em seguida acusou o deputado de mentir.

“O deputado disse que ele não comercializava produtos para a saúde. Negou, sob compromisso dessa CPI, ter negócios nesse ramo. Mentiu. Pois conforme ata notarial relata em que pese o diálogo não ser sobre vacinas é sobre produtos de saúde: lucas, EPI”, disse Dias.

Encontro
Dias ainda confirmou que encontrou Dominguetti em um restaurante de Brasília no dia 25 de fevereiro deste ano, mas diz que o PM chegou à mesa levado pelo coronel Marcelo Blanco.

Ele afirmou que havia saído para tomar um chopp com o amigo José Ricardo Santana, quando Dominguetti chegou com o militar e falou sobre a proposta.

“Fui tomar um chope com um amigo e em determinado momento se dirigiu a mim o coronel Blanco ao lado de uma pessoa que se apresentou como Dominghetti, que disse representar empresa com 400 milhões de doses da AstraZeenca”, disse Dias.

“Eu disse a ele que isso já tinha sido circulado no ministério, mas nunca com documentação necessária. Nunca houve nenhum pedido meu a esse senhor”, emendou.

Publicidade

Siga o depoimento ao vivo

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR