Roberto Jefferson pede que Bolsonaro expulse embaixador da China: “Macaco chinês”

O presidente do PTB tem feito uma sequência de vídeos extremistas, onde aparece armado defendendo tortura e milícias

O ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e aliado do presidente Jair Bolsonaro, voltou a publicar um de seus vídeos extremistas nesta quinta-feira (22). O alvo da vez foi o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming.

Na gravação, ele aparece com duas pistolas dizendo que será a “última trincheira da liberdade e da democracia”. Ele critica o desarmamento e afirma que isso ajuda a entrada de “comunistas”.

Então, ele parta para o ataque contra Wanming. O ex-parlamentar chama o embaixador de “chinês malandro”, “xing ling” e “macaco” e pede a expulsão dele do Brasil.

“Tem que ir embora, o presidente tem que mandá-lo embora. Ele está afrontando o presidente”, diz em tom ameaçador.

“Só por cima do nosso cadáver é que vão implantar aqui um regime ateu-marxista-comunista, onde um palhaço, macaco dá ordens às pessoas e repete Marx e Mao, como esse embaixador chinês. Não me ajoelho a esse macaco chinês”, completou.

Além dos ataques ao embaixador da China, Roberto Jefferson já defendeu a formação de milícias e a prática de tortura contra comunistas em outros vídeos extremistas publicados nas redes sociais.

Notícias relacionadas

ASSISTA:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR