Rodrigo Pacheco descarta adiar CPI da Pandemia e quer eleição de presidente presencial

Líderes do governo Bolsonaro, que promove aglomerações diárias, apostam no discurso de que não há condições sanitárias para a realização de sessões presenciais

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), descartou adiar a instalação da CPI da Pandemia e afirmou que irá determinar sessão presencial para a eleição do presidente da comissão, de acordo com informações de Gerson Camarotti.

“Estou aguardando os nomes e indicações de partidos. Depois, anunciarei a data para instalação da CPI. Vou determinar que a eleição do presidente da comissão seja presencial e recomendar que funcionamento também seja presencial. Mas caberá ao presidente da CPI determinar, num acordo de procedimento com os demais membros, o que pode ser presencial, o que pode ser semipresencial”, afirmou Pacheco.

O fato de ocorrerem reuniões presenciais pode inviabilizar a participação de senadores com mais idade, como Tasso Jereissati (PSDB-CE), por exemplo.

Líderes do governo de Jair Bolsonaro (Sem Partido), que promove aglomerações diárias, tanto no Palácio do Planalto quanto nas ruas, apostam no discurso de que não há condições sanitárias para a realização de sessões presenciais.

Pacheco, no entanto, mesmo tendo externado posição contrária à abertura de CPI neste momento da pandemia, mantém firme posição de seguir decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, e garantir a instalação da comissão já nas próximas duas semanas.

Com informações do G1

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.