Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de outubro de 2018, 08h31

Roger Waters homenageia Moa do Katendê em Salvador e é ovacionado com coro de #EleNão

No momento em que a imagem do capoeirista apareceu, Waters pediu paz e chegou a chorar em cima do palco. O público reagiu com aplausos e gritos de “#EleNão”. Veja o vídeo aqui

Mestre Moa no telão de Roger Waters. Foto: Reprodução/Twitter

O ex-Pink Floyd, Roger Waters, homenageou o capoeirista Moa do Katendê em sua apresentação em Salvador, na noite desta quarta-feira (17), na Arena Fonte Nova. Uma imagem no telão mostrou mestre Moa, assassinado com 12 facadas por um eleitor de Jair Bolsonaro (PSL), durante uma discussão em um bar, logo após a apuração dos votos, no domingo (7), dia do primeiro turno das eleições.

No momento em que a imagem apareceu, Waters pediu paz e chegou a chorar em cima do palco. O público reagiu com aplausos e gritos de “#EleNão”, em protesto contra Bolsonaro.

Waters voltou a mostrar o polêmico telão de LED com imagens em defesa dos direitos humanos, que foi vaiado em outras capitais, quando mostrou uma lista de líderes neo-fascistas pelo mundo, incluindo Bolsonaro.

Em Salvador, no entanto, o manifesto foi aplaudido pelas cerca de 30 mil pessoas que lotavam o estádio. O telão, que cita nomes como Donald Trump (EUA), Vladimir Putin (Rússia) e Marine Le Pen (França), trouxe uma tarja com o texto “Ponto de vista político censurado” onde antes era mostrado o nome do candidato brasileiro.

No repertório, Waters cantou sucessos de sua trajetória no Pink Floyd, além de músicas de sua carreira solo, muitas deles com mensagens contra o nazi-fascismo. Entre as canções, “Breathe”, “Welcome to the Machine”, “The Last Refugee”, “Picture That”, “Eclipse”, “Money” e “Pigs”.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum