segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Salles ataca Lula, que cobrou ação das Forças Armadas no Pantanal: “Molusco, fica na sua”

Condenado por fraude ambiental e acusado de moldar o Conselho Nacional do Meio Ambiente aos seus interesses, Salles culpou os governos do PT pelo desmonte na infraestrutura de combate a incêndios florestais

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi às redes sociais na noite desta segunda-feira (15) atacar o ex-presidente Lula, que cobrou uma ação mais efetiva das Forças Armadas contra o incêndio que consome grande parte do Pantanal e declarou que Salles “é um cidadão descaracterizado de caráter”, que “não tem respeito pela natureza”.

“Molusco, fica na sua”, tuitou Salles, compartilhando parte de uma entrevista à CNN Brasil em que culpa os governos do PT pelo desmonte na infraestrutura de combate a incêndios florestais.

Leia também: Quem é Ricardo Salles

“Bom… Quem tá condenado por corrupção e estava preso até ontem é o ex-presidente Lula. Quem roubou o Brasil e por isso ficamos sem dinheiro para investir tanto na infraestrutura, quanto nas equipes, foi o governo dele e do poste dele, da presidente Dilma, que nos legou uma estrutura completamente desmontada quer seja pela incompetência, pela corrupção ou pela falta de caráter que esse grupo que dominava o governo nos deixou”, afirmou Salles.

Condenado em primeira instância por coagir um funcionário a liberar uma área de mineração a mando da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Salles é investigado por enriquecimento ilícito e, assim que assumiu o ministério promoveu uma verdadeira destruição do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama): cortou 77% dos conselheiros do órgão e o reformulou de acordo com seus interesses.

Antes composto por 96 integrantes – entre entidades públicas e ONGs –, o Conama passou a ter 22 conselheiros, e o governo federal passou a ser o protagonista do órgão.

Lula
Em entrevista ao DCM nesta segunda-feira (15), Lula afirmou que o problema dos incêndios no Pantanal “não é só da responsabilidade do Bolsonaro”, mas destacou que “a gravidade do incêndio passa a ser da irresponsabilidade do Bolsonaro” e cobrou a participação das Forças Armadas no combate aos incêndios.

“O dado concreto é que o governo tem se mostrado muito incompetente no trato dessas coisas. Por que que o governo não usa as Forças Armadas? Com muito mais gente, já que não temos guerra com ninguém. Por que não estão lá os nossos 50 mil, 60 mil soldados no Pantanal, na Amazônia, em qualquer lugar que está pegando fogo para tentar diminuir”, cobrou o ex-presidente.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.