sábado, 24 out 2020
Publicidade

Salles gastou apenas 36% do orçamento para prevenir e combater queimadas

Governo já havia reduzido as verbas para ações do tipo neste ano e prevê cortes ainda maiores em 2021

Apesar dos incêndios históricos na Amazônia e Pantanal registrados ao longo do ano, o Ministério do Meio Ambiente, sob gestão de Ricardo Salles, gastou apenas 35,6% do orçamento destinado para prevenção, combate e fiscalização de queimadas.

De acordo com reportagem do UOL, de janeiro até o dia 22 de setembro, apenas R$ 61,8 milhões dos R$ 173,8 milhões liberados para a área. Com isso, o governo gastou pouco mais de um terço do que poderia ter usado contra o fogo, que já consumiu 2 milhões de hectares no Pantanal. A área representa quase 10 vezes o tamanho das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro juntas.

Todo o dinheiro que deveria ser utilizado pelo ministério de Salles vai para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O governo de Jair Bolsonaro já havia reduzido os valores para ações de combate às queimadas para este ano e prevê novos cortes para 2021. Segundo o projeto de Orçamento enviado ao Congresso, está prevista uma reserva 22% menor para o próximo ano, ou seja, serão destinados apenas R$ 135,1 milhões para o combate de queimadas.

Luisa Fragão
Luisa Fragão
Jornalista.