Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de setembro de 2019, 22h40

Sâmia Bomfim confirma intenção de disputar a prefeitura de SP pelo PSOL

Aos 30 anos, deputada feminista foi uma das parlamentares de esquerda mais votadas para a Câmara Federal e já desponta como um dos nomes de renovação do setor progressista para enfrentar a ascensão bolsonarista; "É responsabilidade da esquerda fortalecer suas lideranças com posições radicais". Confira a entrevista à Fórum

Sâmia Bomfim - Foto: Divulgação

Na manhã desta quarta-feira a coluna “Painel”, da Folha de S. Paulo, informou que já há discussões dentro do PSOL que colocam a deputada federal Sâmia Bomfim (SP) com um dos nomes favoritos do partido para disputar a prefeitura de São Paulo em 2020.

Em entrevista à Fórum, Sâmia confirmou que já foi consultada internamente e que, de fato, topa o desafio de concorrer ao Executivo da maior cidade do país.  “Sim, de fato já há uma discussão no interior do partido em torno do meu nome para disputar a prefeitura da cidade pelo perfil, pelo espaço que a candidatura poderia ter”, afirma.

Aos 30 anos, com uma carreira política relativamente recente, Sâmia já foi vereadora e se tornou deputada com uma das maiores votações entre quadros de esquerda. Na Câmara Federal, vem assumindo protagonismo ao fazer o confrontamento direto com os representantes da direita e do governo Bolsonaro.

Para a parlamentar, que é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), há a necessidade em se apostar não só na renovação de quadros, mas também no radicalismo de figuras de esquerda, com o objetivo de fazer frente à ascensão bolsonarista que deve se fazer presente nas eleições municipais.

Caso sua candidatura seja confirmada, Sâmia deverá enfrentar a também deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), bolsonarista de primeira hora que é a principal aposta do núcleo do governo para a prefeitura da capital paulista.

“A gente vê um processo de uma nova direita crescendo no Brasil, com posições mais radicalizadas. E também é responsabilidade da esquerda saber fortalecer suas próprias lideranças, também renovadas, e com posições radicais, dos princípios de defesa dos direitos sociais, dos trabalhadores e dos direitos humanos”, pontua.

Confira, abaixo, a íntegra da entrevista em que Sâmia fala da possível candidatura.

Fórum – Deputada, de fato já há essas conversas no PSOL em torno do seu nome para a prefeitura no ano que vem? A senhora já foi consultada sobre?

Sâmia Bomfim – Sim, de fato já há uma discussão no interior do partido em torno do meu nome para disputar a prefeitura da cidade pelo perfil, pelo espaço que a candidatura poderia ter. Por ser uma mulher jovem e por ter sido, nas eleições pra Câmara Federal, a deputada de esquerda mais votada do estado e a sexta mais votada da cidade. Então, seria uma oportunidade para ampliar esse diálogo e o debate no PSOL. Já fui consultada e sempre me coloco à disposição das tarefas que forem úteis para a construção de um programa de esquerda para a cidade e, nesse momento da resistência, há um recrudescimento da extrema-direita no Brasil. Acredito que as eleições municipais vão cumprir com um papel importante para tentar quebrar com esse fortalecimento do conservadorismo, de setores fundamentalistas ligados a Bolsonaro. Se minha candidatura contribuir para isso, eu fico bem satisfeita.

Fórum – A senhora, de antemão, topa a candidatura ou depende de algum outro fator para confirmar?

Sâmia Bomfim – Eu acho que tem que ser uma candidatura aceita na sociedade, nos movimentos sociais, na base não só do PSOL, mas de todos os setores progressistas da cidade, e claro, ser bem aceita dentro do partido. Desde o anúncio através da Folha a repercussão tem sido bastante interessante, tenho recebido ligações de diversas lideranças de sindicatos, movimentos sociais, parlamentares do PSOL e outros grupos políticos apoiando essa possibilidade. Se não houver resistência interna, não tem nenhum fator que me impediria.

Fórum Como a senhora se sente, com uma carreira política relativamente recente, ao já ser cotada para a prefeitura pelo PSOL, principalmente depois de o partido ter lançado uma figura tão simbólica como Luiza Erundina?

Sâmia Bomfim – Eu me sinto honrada com a discussão do meu nome. Principalmente porque a última campanha foi encabeçada pela Erundina que é uma grande referência para mim aqui no Congresso pela história de luta e coerência em defesa dos trabalhadores, dos direitos sociais. E é bastante desafiador. Mas acho que mostra também que há espaço e talvez uma necessidade de que a esquerda vá forjando e consolidando novos quadros e lideranças políticas. A gente vê um processo de uma nova direita crescendo no Brasil, com posições mais radicalizadas. E também é responsabilidade da esquerda saber fortalecer suas próprias lideranças, também renovadas, e com posições radicais, dos princípios de defesa dos direitos sociais, dos trabalhadores e dos direitos humanos.

Fórum – Acredita em algum tipo de união entre as esquerdas em São Paulo para enfrentar o bolsonarismo?

Sâmia Bomfim – Acredito que sim. É preciso, em todas as cidades, haver um debate franco e fraterno entre os setores progressistas para que tenhamos força para enfrentar o bolsonarismo. Por isso o meu nome está em discussão, foi colocado à disposição, porque expressou bastante força eleitoral e bastante força na sociedade, então seria um bom nome para representar esse momento da política.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum