Fórumcast, o podcast da Fórum
24 de novembro de 2018, 08h58

“Se o MST está preocupado, tem que se preocupar mesmo”, diz ruralista que vai comandar reforma agrária

Nabhan Garcia, que será responsável pela Reforma Agrária no governo Bolsonaro, diz que as pessoas que dormem "debaixo da barraca de lona" são usadas como "massa de manobra por ditos movimentos sociais". MST não quis comentar declarações.

O Secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, é presidente licenciado da União Democrática Ruralista (UDR)

Presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, que vai comandar a Secretaria de Assuntos Fundiários, responsável pela Reforma Agrária, disse, em entrevista à Folha de S.Paulo na edição deste sábado (24), que “Se o MST está preocupado, tem que se preocupar mesmo, porque tem que parar de invadir propriedade”.

Para o ruralista, as pessoas que dormem “debaixo da barraca de lona” são usadas como “massa de manobra por ditos movimentos sociais”.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

“A realidade é que essas pessoas são usadas como massa de manobra por ditos movimentos sociais, que de sociais não têm nada. É essa hipocrisia de quem submete seres humanos, crianças, velhos, idosos, para ficar lá, humilhados debaixo de barraca de lona. Isso que é uma violência, mas nessa hora você não vê nenhum movimento de direitos humanos denunciar”, diz o futuro secretário de Jair Bolsonaro (PSL).

Procurado pela Folha, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não quis comentar as declarações do ruralista.

Leia a reportagem na íntegra.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum