quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Secretário de Privatização de Bolsonaro toma invertida de petroleiro ao dizer que “sindicatos foram enquadrados”

O Secretário de “Desestatização” do governo Jair Bolsonaro, o bilionário empresário Salim Mattar, tomou uma invertida nas redes sociais ao comemorar que “os sindicatos foram enquadrados” durante a greve dos petroleiros e “agora serão mais cuidadosos antes de fazerem greves”.

Tadeu Porto, diretor da Frente Única dos Petroleiros que fez parte da Comissão de Negociação que ocupou o edifício sede da Petrobras, afirmou que “a próxima greve será ainda maior e, pelo andar da carruagem, vamos nos juntar ao povo contra seu governo autoritário e golpista”.

“Lembrou da nossa greve? Teve que ficar pianinho durante os 20 dias pois sabia que a opinião pública estava com os petroleiros”, escreveu ainda Tadeu.

Com uma fortuna estimada em R$ 1,8 bilhão, Mattar já havia criticado a greve dos petroleiros que, segundo ele, seriam “privilegiados que trabalham nas estatais”.

“Os petroleiros, que são bem remunerados e têm uma série de benefícios e privilégios por trabalharem numa estatal, anunciaram greve a partir de sábado. A Petrobras considera a mobilização descabida. Enquanto isso 12 milhões de brasileiros comuns seguem procurando emprego”, tuitou, comparando à massa de desempregados no setor privado, do qual faz parte.

Plinio Teodoro
Plinio Teodoro
Plínio Teodoro Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.