Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

Fórumcast, o podcast da Fórum
08 de agosto de 2019, 19h17

Senado pretende investigar tratado secreto na Usina de Itaipu

O escândalo envolve a compra e venda do excedente de energia elétrica produzida de Itaipu, que seria “atravessada” por gente ligada ao clã Bolsonaro

Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai - Foto: Divulgação/PR

Em meio ao escândalo que pode acarretar no impeachment do presidente do Paraguai, foi aprovado nesta quinta-feira (8) na Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal o requerimento 52/2019, para criar uma subcomissão para investigar o escândalo do tratado secreto entre a Usina de Itaipu com o governo do Paraguai e que envolve uma empresa ligada ao clã Bolsonaro.

A imprensa paraguaia vem denunciando um supostos esquema entre o presidente e o vice-presidente locais, Mário Abdo Benitez e Hugo Velázquez, respectivamente, com o empresário Alexandre Giordano, suplente do senador Major Olímpio (PSL-SP).

Giordano é tido como o intermediário do esquema que alterou o acordo de Itaipu com o objetivo de favorecer a empresa Léros, que teria vínculo com a Família Bolsonaro. O acerto foi cancelado após o escândalo estalar uma crise no Paraguai que ameaça o presidente Mario Abdo e seu vice com um processo de impeachment.

O escândalo envolve a compra e venda do excedente de energia elétrica produzida pela Itaipu que, ainda de acordo com a imprensa do Paraguai, seria “atravessada” por gente ligada a Bolsonaro.

Na terça (6) o Partido dos Trabalhadores (PT) apresentou um pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República (PGR). O partido abriu representação contra o presidente Jair Bolsonaro, o chanceler Ernesto Araújo e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna.

O PT alerta que, apesar do acordo ter sido cancelado, se não fosse a denúncia de técnicos da estatal ANDE e a divulgação dos termos secretos do contrato por parte da imprensa paraguaia, “um esquema corrupto de negócio já estaria em andamento”. “Na prática, o acordo foi concebido por agentes privados diretamente interessados no negócio, para enriquecerem às custas dos dois Estados”, diz nota da bancada da sigla.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum