Senador pede convocação de Carlos Bolsonaro na CPI do Genocídio: “Quem não deve não teme”

Alessandro Vieira (Cidadania-SE) ainda protocolou pedidos de convocação do olavista Filipe Martins e de quebra de sigilo de Fabio Wajngarten. Carlos Bolsonaro teve ataque de fúria ao ser citado por executivo da Pfizer na CPI

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) anunciou na noite desta quinta-feira (13) que protocolou pedido de convocação de Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) para prestar depoimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 após Carlos Murillo, gerente-geral da Pfizer na América Latina, confirmar que o filho de Jair Bolsonaro (Sem partido), que não tem cargo no governo federal, participou de ao menos uma reunião para negociação de vacinas.

Além de Carlos Bolsonaro, Alessandro Vieira, que é ex-delegado de polícia, pediu ainda a convocação do olavista Filipe Martins, assessor especial da Presidência, que também foi citado pelo executiva da Pfizer, além da quebra dos sigilos de Fabio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação de Bolsonaro, que mentiu à CPI do Genocídio.

“Apresentei o requerimento de convocação de Carlos Bolsonaro e Felipe Martins, citados como participantes de reunião“paralela” sobre vacinas, bem como o pedido de quebra dos sigilos de Wajngarten. A investigação técnica exige estas medidas. Quem não deve não teme”, tuitou Vieira, que é líder do Cidadania no Senado.

A convocação de Carlos Bolsonaro chegou a ser cogitada pelo relator, Renan Calheiros (MDB-AL), na primeira sessão da CPI, mas o medebista, tido como um dos principais inimigos do clã presidencial, disse que não entraria com o pedido à época para não “pessoalizar a investigação”.

Ao ter seu nome citado pelo executivo da Pfizer nesta quinta-feira (13), Carlos Bolsonaro teria tido um ataque de fúria.

Nas redes sociais, o filho do presidente, que é vereador no Rio de Janeiro, reagiu afirmando que as pessoas querem impedi-lo de ficar próximo ao seu pai. “Sei que existem pessoas que não gostam dos seus e outros ‘forçam’ você a não gostar do seu. Jamais me impedirão de ficar ao lado do meu velho, mesmo que por pouco tempo atualmente!”, escreveu em suas redes sociais.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.