Serra só não foi para a cadeia por ser senador; tucano reclama de “espetacularização”

Representação do MPSP que pediu autorização à Justiça para desencadeamento da operação diz que há "fundados indícios" sobre Caixa 2 de José Serra em 2014

Alvo do braço eleitoral da Lava Jato nesta terça-feira (21), José Serra (PSDB) só não foi para a cadeia por “exercer cargo de Senador da República”, de acordo com a representação à Justiça feita pelos promotores paulistas, ressaltando que há “fundados indícios” sobre os supostos crimes praticados pelo tucano, acusado de ter recebido R$ 5 milhões via Caixa 2 na campanha de 2014.

Leia também: Lava Jato usa grupo de elite da PF em nova ação contra José Serra em SP

Serra teve os bens bloqueados, assim como o empresário José Seripieri Filho, o Júnior, dono da Qualicorp. Como a ação foi autorizada por um juiz de primeira instância, por ser um desdobramento da Lava Jata no Ministério Público paulista, o gabinete do senador em Brasília foi blindado por decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Em nota, Serra reclama da “espetacularização que tem permeado ações deste tipo no país”.

“O senador José Serra foi surpreendido esta manhã com nova e abusiva operação de busca e apreensão em seus endereços, dois dos quais já haviam sido vasculhados há menos de 20 dias pela Polícia Federal. A decisão da Justiça Eleitoral é baseada em fatos antigos e em investigação até então desconhecida do senador e de sua defesa, na qual, ressalte-se, José Serra jamais foi ouvido”, diz a nota, divulgada pela defesa do Senador e publicado no jornal O Estado de S.Paulo.

Já o PSDB de São Paulo informou que reitera sua confiança no senador José Serra, “pautada nos mais de 40 anos de uma vida pública conduzida de forma proba e correta. Mantemos nossa confiança no poder judiciário e no esclarecimento dos fatos”.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR