Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de fevereiro de 2019, 19h05

STF recebe ação contra ministro da Educação por chamar brasileiros de ladrões

A ação solicita que o STF expeça mandado de citação a Vélez para que ele preste esclarecimentos sobre o que foi declarado

Foto: Divulgação/MEC

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu proposta do advogado Marcos Aldemir Rivas, no sentido de interpelar criminalmente o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, por suas recentes declarações, as quais afirma que brasileiros têm o hábito de roubar objetos quando estão viajando.

A ação solicita que o STF expeça mandado de citação a Vélez para que ele preste esclarecimentos sobre o que foi declarado. O caso foi distribuído à ministra Rosa Weber, de acordo com informações de Ana Pompeu, do Conjur.

Rivas é um dos advogados do PDT. Ele afirma que o ministro “caluniou os cidadãos brasileiros, por apontá-los como praticantes de roubos e furtos, os difamou, diante da imputação ao brasileiro de fatos ofensivos à reputação, especialmente de agir como canibal e, por fim, injúria por ter envolvido, a princípio, a imputação a todos os brasileiros”.

Vélez afirmou que, viajando, o brasileiro é um “canibal”. “Rouba coisas dos hotéis, rouba o assento salva-vidas do avião; ele acha que sai de casa e pode carregar tudo. Esse é o tipo de coisa que tem de ser revertido na escola”, declarou o ministro.

“Vilania”

“O grau de vilania do interpelado chega ao ponto de atribuir ao brasileiro a condição antropológica de canibal, dando-lhe o sentido mais pejorativo possível que, segundo os historiadores, antropológicos é a fase mais primitiva da humanidade, classificada como período da selvageria”, afirma o advogado na petição.

“De certo que além de serem declarações não recomendáveis para um ministro de Estado, principalmente da pasta da Educação, as acusações são gravíssimas dirigidas a todos os brasileiros, mas revestidas de equivocidade e ambiguidades que, sem os pertinentes esclarecimentos, tornará impossível a propositura da ação penal privada”.

As falas do ministro foram publicadas na edição do último final de semana da revista Veja.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum