STF recomenda livro “Máquina do Ódio” no Dia da Liberdade de Imprensa

Publicação da jornalista Patrícia Campos Mello trata sobre o uso político da desinformação

O perfil oficial do Supremo Tribunal Federal (STF) no Twitter indicou o livro “A Máquina do Ódio” da jornalista Patrícia Campos Mello como uma das recomendações diante do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. A publicação trata sobre o uso político de fake news e ataques virtuais.

“Hoje é o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Quer conhecer mais sobre os deveres, direitos e responsabilidades da imprensa? Confira as indicações de leitura que a Biblioteca do Supremo selecionou sobre o tema para você”, diz a publicação feita pelo STF, que inclui o livro da jornalista entre os cinco indicados.

Durante as eleições de 2018, Campos Mello revelou na Folha de S. Paulo os disparos em massa de WhatsApp por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Em razão da série de reportagens publicada por ela, virou alvo do bolsonarismo, sendo atacada, inclusive, em sessão da CPMI das Fake News.

Em A máquina do ódio, Campos Mello se propõe a discutir como as redes sociais vêm sendo manipuladas e como as campanhas de difamação funcionam qual uma censura, com a atuação de trolls. Segundo ela, jornalistas mulheres são as vítimas preferenciais de quem promove os ataques. Na publicação, ela analisa eleições do Brasil, da Índia e dos Estados Unidos.

O jurista Davi Tangerino, professor da UERJ, enxergou um recado do STF com a indicação. “Saca o recado: A Máquina do Ódio, da @camposmello, entre os 5 livros indicado pelo STF no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa…”, tuitou.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina