STJ torna Witzel réu e amplia afastamento do governador do Rio

Com processo de impeachment paralisado, o governador recebeu uma suspensão de 1 ano à pedido da PGR

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, virou réu nesta quinta-feira (11) após a decisão da pela Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de aceitar denúncia oferecida contra ele pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção e lavagem de dinheiro.

Witzel foi afastado inicialmente do cargo em 28 de agosto de 2020 em decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves. Em setembro, o STJ referendou a decisão que previa um afastamento inicial de 180 dias.

Nesta quinta, ao aceitarem denúncia do Ministério Público Federal, o tribunal optou por estender o afastamento do governador por mais um ano, à pedido da PGR.

Segundo a PGR, o ex-juiz estabeleceu um esquema de propina para a contratação emergencial e para liberação de pagamentos a organizações sociais que prestam serviços ao governo, especialmente nas áreas de saúde e educação.

Witzel também enfrenta processo de impeachment aberto pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. A tramitação, no entanto, foi interrompida após decisão do STF de anular o depoimento do governador.

Com a decisão do STJ, Cláudio Castro (PSC) segue como governador interino do Rio de Janeiro.

Com informações da ConJur e do G1

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina