Fórumcast #20
23 de dezembro de 2017, 15h16

Temer acha que tem aprovação popular, mas pessoas teriam “vergonha” de dizer

“As pessoas têm vergonha de dizer, embora na verdade aprovem o governo”, disse Temer que, de acordo com levantamentos recentes, é rejeitado por 94% dos brasileiros 

Por Redação

Michel Temer, apesar de todas as pesquisas apontarem o contrário, está otimista. Em café da manhã com a presença de jornalistas realizado na sexta-feira (22), o peemedebista disse que fez uma pesquisa “em particular” em que constatou que a maioria dos brasileiros aprovam seu governo, mas têm vergonha de dizer.

“Essa questão da corrupção prejudicou muito o governo. E prejudica muito a popularidade. Uma pesquisa que eu pedi em particular revela que as pessoas têm vergonha de dizer, embora na verdade aprovem o governo e o que o governo está fazendo, elas tem um certo pudor. ‘Poxa, um governo corrupto, a classe política, etc”. Cai a popularidade, não tenha dúvida”, disse. Para Temer, a associação de seu governo à corrupção é fruto de dois fatores: “da irresponsabilidade de setores privados e de uma figura do setor público”.

Quando citou a “figura do setor público”, Temer se referia ao ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que o denunciou por corrupção em um processo que foi arquivado pela Câmara dos Deputados.

Veja também:  “Tenho poder de veto ou vou ser um presidente banana?”, diz Bolsonaro

Pesquisa Ibope divulgada na última semana aponta que 94% dos brasileiros reprovam Michel Temer, enquanto apenas 6% o aprovam. Em outubro, o instituto de pesquisas europeu Eurasia classificou o presidente brasileiro como o líder de estado mais impopular do mundo, superando até mesmo governantes considerados ditadores.

Foto: Murillo Constantino

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum