Fórumcast #20
27 de outubro de 2017, 13h24

Temer derruba liminar e coloca à venda o petróleo brasileiro

A ANP oferecerá oito áreas do pré-sal por cerca de R$ 7,75 bilhões. Este é o primeiro leilão desde 2013, quando o governo ofereceu a área de Libra.

Da Redação

Em menos de 24 horas depois de ver o leilão do pré-sal ser suspenso, o governo Temer derrubou liminar da Justiça e realiza dois pregões nesta sexta-feira (27), no Rio de Janeiro. Esta suspensão havia sido obtida em ação conjunta do PT com a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e sindicatos, que entraram com pedidos em diversos Estados.

Foi no Amazonas que, nesta quinta (26), o juiz Ricardo Sales, da 3ª Vara Cível da Justiça Federal de Manaus, havia determinado a suspensão do pregão. O magistrado argumentou que os valores cobrados pelas áreas são baixos e que a lei que pôs fim à exclusividade da Petrobras no pré-sal apresenta “vício constitucional”.

Porém, com a derrubada da liminar, a ANP poderá oferecer oito áreas do pré-sal por cerca de R$ 7,75 bilhões. O valor pretendido com a venda representa pouco mais da metade do bônus de licitação do campo de Libra (entregue na primeira rodada de licitações), em 2013, segundo a FUP.  O valor de Libra foi de R$ 15 bilhões e não haveria, segundo o juiz Ricardo Salles, “justificativa plausível para que os valores sejam tão baixos e tão lesivos ao patrimônio público”.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro tuita nota do Antagonista que diz que prefeito de Miami ficou "impressionado" com ele

Com isso, grandes petroleiras do mundo, como Exxon, Shell e Total poderão adquirir o direito de exploração exclusivo do petróleo nacional por um montante abaixo do que realmente vale. Ao todo, a ANP qualificou 17 empresas internacionais para participarem desta disputa.

*com informações da Folha de S. Paulo
Foto: Petrobras/ABr


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum