Fórumcast, o podcast da Fórum
27 de fevereiro de 2019, 16h57

“Tive certeza de que morreria”, diz Jean Wyllys em Portugal

Em Lisboa, ex-parlamentar denunciou a falta de ação da Polícia Federal para defendê-lo

Foto: Maíra Streit

Por Maíra Streit, de Lisboa

O ex-deputado federal Jean Wyllys, do PSOL, participou na tarde desta quarta-feira (27) de uma conferência na Casa do Alentejo, em Lisboa, sobre os motivos que o fizeram deixar o Brasil. Há cerca de um mês, ele anunciou que moraria no exterior, abrindo mão de seu terceiro mandato na Câmara devido a ameaças de morte que se agravaram com o assassinato da vereadora Marielle Franco.

O político fez uma retrospectiva da perseguição sofrida desde sua posse no Parlamento. Segundo ele, denúncias graves feitas à Polícia Federal nunca surtiram efeito e os ataques se intensificaram quando passou a defender a ex-presidenta Dilma Rousseff durante o processo de impeachment.

“A minha resiliência ia aumentando o nível das ameaças. Minha mãe, que é uma mulher simples, meus irmãos, que são pessoas honestas e trabalhadoras, passaram a ser vítimas. Vi que havia uma possibilidade concreta de fazerem algo comigo e com eles”, afirmou.

Wyllys frisou que já não havia qualquer liberdade na rotina que levava no Brasil. “Passei a me restringir ao espaço da minha casa, ao cárcere privado. Isso foi me adoecendo. Comecei a somatizar as ameaças. Tive certeza de que morreria. Se não fosse assassinado, morreria doente”, disse. “Espero um dia poder voltar para o meu ninho”, encerrou emocionado.

O bate-papo contou ainda com a participação do sociólogo Boaventura de Sousa Santos e da presidenta da Fundação José Saramago, Pilar del Rio. Ontem, o político fez uma fala na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. O evento tinha como tema “Discursos de ódio e fake news da extrema direita e seus impactos nos modos de vida de minorias sexuais, étnicas e religiosas – o caso do Brasil”.

Durante o debate, dois homens foram imobilizados e expulsos do auditório por arremessarem ovos contra o político. Hoje, o ex-deputado abriu sua participação com um omelete em mãos, ironizando o fato do dia anterior. Um manifestante, com camisa estampada com a figura de Jair Bolsonaro, também precisou ser retirado em Lisboa.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum