terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

Usuário de chocolate não sabe dos crimes do fornecedor, ironiza juiz que defende legalização da maconha

O juiz Luís Carlos Valois, da Vara de Execução Penal do Tribunal de Justiça do Amazonas, usou as redes sociais nesta sexta-feira (20) para ironizar o uso de uma loja de chocolates da Kopenhagen pelo senador Flávio Bolsonaro para lavar dinheiro proveniente de esquemas de corrupção.
“Não adianta culpar o usuário de chocolate pelo consumo, ele não sabe sobre os crimes que estão por trás das atividades do seu fornecedor!”, escreveu o juiz em seu perfil no Twitter. “Usuário de chocolate é tudo va-ga-bun-do, ficam alimentando o crime. Se não tivesse consumidor de chocolate, não teria o vendedor e as lojas não lavariam dinheiro”, respondeu um seguidor, também em tom de ironia.
Investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) concluíram que o senador Flávio Bolsonaro lavou até R$ 2,3 milhões com uma loja de chocolates Kopenhagen no Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, e com transações imobiliárias. A origem do dinheiro, aponta a Promotoria, é o esquema de “rachadinhas” praticado no gabinete do então deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).
Confira:

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.