Fórumcast #19
14 de agosto de 2019, 09h56

Instituto que deu prêmio a Dallagnol é bancado por entidade onde Eduardo Bolsonaro forjou pós-graduação

O título do Instituto Mises, mantenedor do IFL-SP que premiou Dallagnol, foi forjado por Eduardo para apresentar como credenciais para assumir a embaixada nos EUA

Eduardo Bolsonaro e Deltan Dallagnol (Montagem)

Com “indicativos de seriedade”, segundo o próprio procurador, o Instituto de Formação de Líderes (IFL-SP) que concedeu o prêmio “Liberdade 2016” a Deltan Dallagnol e à força-tarefa da Java Jato tem entre seus dois mantenedores o Instituto Mises, onde o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) diz ter feito pós-graduação em Economia que, na verdade, não foi concluída.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

O título foi forjado por Eduardo para apresentar como credenciais para assumir a embaixada nos EUA, no entanto, o filho 03 de Bolsonaro não entregou o trabalho de conclusão do curso, iniciado em março de 2016 e que dura, em média, um ano e meio.

Nas conversas divulgadas nesta quarta-feira (14) pelo portal Uol, em parceria com o site The Intercept, Dallagnol diz, primeiramente, que receberia o prêmio por que o IFL-SP foi “checado” e os “indicativos são de seriedade”.

O procurador, no entanto, declinou de comparecer a cerimônia após o assessor 2 de comunicação do Ministério Público Federal (MPF) implorar para que ele não se associasse ao então deputado Jair Bolsonaro, que também estaria presente no evento.

Veja também:  "Foi o tom do meu último peido", diz Dallagnol em mensagem vazada

Eduardo diz ter feito especialização em Escola Austríaca de Economia, o Instituto Mises Brasil. Essa linha de pensamento é uma das “modas” dos novos liberais brasileiros que exaltam Ludwig Von Mises, líder da Escola Austríaca de pensamento econômico e um dos combatentes do socialismo.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum