segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Procurador que incentivou candidatura de Dallagnol ao Senado oculta postagens no Twitter

O procurador Vladimir Aras, que aparece na reportagem da Vaza Jato publicada nesta terça-feira (3) incentivando Deltan Dallagnol a se lançar candidato ao Senado pelo Paraná e chamando Gleisi Hoffmann e Roberto Requião de inimigos, trancou sua conta no Twitter. Usuários da rede social denunciaram a atitude do integrante do MPF como uma forma de esconder e apagar mensagens que pudessem comprometê-lo ainda mais.

“Você tem de pensar no Senado. Você se elege fácil e impede um dos nossos inimigos no Senado: Requião ou Gleise caem”, disse Aras ao coordenador da Lava Jato nos chats revelados pelo The Intercept Brasil. Requião (MDB) e Gleisi (PT) eram senadores pelo Paraná na época – em 2018, ela se elegeu deputada federal e ele ficou em terceiro na disputa pelo Senado.

O jornalista William De Lucca usou sua conta para denunciar a atitude do procurador. “O procurador Vladimir Aras, que apareceu hoje nas denúncias da #VazaJato incentivando Deltan Dallagnol a ser candidato e dizendo que Gleisi Hoffmann e Roberto Requião são ‘inimigos’, fechou sua conta no Twitter. Transparência é tudo, né?”, publicou.

Aras era o nome favorito de Dallagnol e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, para ocupar a cadeira da Procuradoria-Geral da República (PGR) no lugar de Rachel Dodge. O presidente Jair Bolsonaro ainda não confirmou quem assumirá o posto, mas Aras aparece um pouco distante das preferências.

 

Reprodução/Twitter

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.