Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de julho de 2019, 13h51

Procuradora Monique Cheker lança mais suspeitas sobre os arquivos da Vaza Jato

Procuradora, que aparece em conversas dizendo que "Moro viola o sistema acusatório" e tecendo críticas ao juiz, voltou a falar sobre invasão de dispositivos e edição de mensagens; "Fumaça ilícita para despistar"

Foto: Reprodução/YouTube

Um dia após a divulgação da reportagem da Veja em parceria com o The Intercept Brasil, que traz conversas inéditas entre o ministro Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, a procuradora Monique Cheker voltou, neste sábado (6), a lançar suspeitas sobre os arquivos da série de reportagens que ficou conhecida como Vaza Jato.

Pelo Twitter, sem citar diretamente os vazamentos, Cheker seguiu o discurso de Sérgio Moro e falou sobre edição de mensagens e invasão de dispositivos, sem cravar, no entanto, se os diálogos de fato são autênticos ou não.

“Numa Era em que a única certeza é qual o próximo dispositivo que será invadido; em que editar mensagens e até imagens é mais fácil do que escrever, torna mais importante, pelo menos num contexto de um diálogo minimamente sério, verificarmos a cadeia de veracidade da informação”, escreveu a procuradora.

E continuou: “Ou a Cadeia de Custódia da Prova. Edições totais e parciais podem ocorrer. Fumaça ilícita para despistar. Certidão de veracidade ou juramento por quem tem interesse na divulgação da informação não basta. Até porque ‘do outro polo’ podem fazer o mesmo e só palavras não bastam”.

 

A procuradora aparece em algumas das conversas que vêm sendo divulgadas. De acordo com os vazamentos, em 1º de novembro de 2018, uma hora antes de Moro anunciar que tinha aceitado o convite de Jair Bolsonaro para se tornar ministro da Justiça, Monique Cheker escreveu que “Moro viola sempre o sistema acusatório e é tolerado por seus resultados”.

Para a procuradora, o movimento do ex-juiz deixava a imagem de que ele estava fazendo uma “escadinha” política com a Lava Jato: “Moro ajudou a derrubar a esquerda, a esposa fez propaganda para Bolsonaro, ele agora assume cargo político. Não podemos olhar como natural”, escreveu.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum